10 outubro 2015

Resenha Amor Infinito, por Simone Pesci

Boa tarde amigos leitores!
O blog esteve desatualizado ( já falei isso antes, rs) mas a partir de agora ele voltará ao normal com postagens mais frequentes.
Como sabem participei da Bienal do Rio e também da Bienal de Pernambuco, logo mais trarei fotos dos 2 eventos e mais novidades que tenho para contar! E elas são muitas, rs.
Bom, mas vamos deixar de enrolação certo?
Hoje quero divulgar uma resenha linda, que a amiga blogueira e também escritora Simone Pesci fez do livro Amor Infinito.







Uma grata e maravilhosa surpresa! 
Diferente de tudo o que estou acostumada a ler, deparei-me com um enredo onde o amor transcende o tempo, e, por sinal, é narrado em três épocas distintas, sendo estas: o ano de 1870, o ano de 2060 e também o ano de 2327.

A história começa em 2327, com Yara e Felipe, que são dois tripulantes no espaço, sedentos de desejos. Com cenas quentes, adornadas pela gravidade, conhecemos o início de uma relação. Tal qual neste universo nada paralelo, depois de um tórrido deleite de amor, Felipe fica instigado com um pingente em formato de coração que Yara carrega consigo. Eis que o moçoilo pede para que ela empreste este pingente, para que desta forma ele faça uma pesquisa  e mesmo a contragosto, pois essa é uma joia que ela herdou da família, resolve entregá-lo a fim de descobrir sua origem. Aliás, no plano espacial, Felipe é um dos melhores e mais eficientes pesquisadores. Assim, ele descobre que o pingente é nada mais que um pen drive, onde o mesmo carrega a história de vidas passadas de Yara.



Leia a resenha na íntegra clicando no link: Resenha Amor Infinito, por Simone Pesci





Nenhum comentário:

Postar um comentário